Uma Carta Perdida

Cenário para o espetáculo UMA CARTA PERDIDA

Teatro Municipal Café Pequeno.

Rio de Janeiro. 2014.

FICHA TÉCNICA

Texto: Ion Luca Caragiale

Adaptação: Adriano Martins e Daniel Belmonte

Direção: Daniel Belmonte

Elenco: Adriano Martins, Alexandre Duvivier, André Dale, André Pellegrino, Daniel Zubrinsky, João Sant’Anna,

Bruna Brignol, Pedro Tomé e Rodrigo Arruda.

Iluminação: Felipe Lourenço

Figurino: Anouk van der Zee, Raquel Dimantas e Marianna Pastori

Pesquisa musical: Rodrigo Miravalles

Cenografia: Julia Marina

Visagismo: Marianna Pastori

Diretor de arte: Colmar Diniz

Produção: Marina Henriques e Ivan LP

Ass. de produção: Isadora Krummenauer

Design gráfico: Victoria Scholte

Apoio Audiovisual: HM Multimídia

Assessoria de Imprensa: Leila Meirelles

Sinopse

A partir de uma carta de amor extraviada, cria-se uma reviravolta no cenário eleitoral da cidade. Em “Uma Carta Perdida”, mentiras, concessões, traições nos trazem um universo político extremamente familiar com o qual fica impossível não haver identificação e crítica.

“Uma Carta Perdida”, texto de Ion Luca Caragiale, importantíssimo dramaturgo romeno, é uma sátira aos bastidores da política com tudo que tem direito: chantagem, comportamentos duvidosos, jogos de interesse. Apesar de escrita em 1884, a peça é muito atual e sua data de estreia foi escolhida a dedo pela equipe.

A peça, inédita no Brasil, foi encontrada no acervo de livros doado aos alunos do Tablado após a morte de Bernardo Jablonski, professor da casa. Coincidentemente, todos – elenco e direção- tiveram alguma ligação com Jablonski, tendo sido seu aluno, dirigido por ele ou mesmo colega de cena.