A Hora e a Vez de Augusto Matraga

A hora e vez de Augusto Matraga recria uma verdadeira saga do homem na travessia por este mundo. Matraga é, de um modo mais amplo, o homem no sentido universal. Sua trajetória recria a passagem evolutiva em busca do aprendizado do viver e da ascensão espiritual em plenitude. Seu objetivo será ter sua hora e vez de entrar no céu, “mesmo que seja a porrete”. É uma história de redenção e espiritualidade, uma história de conversão. Ao longo do seu enredo o protagonista, Augusto Matraga, passa do mal ao bem, da perdição à salvação.

 

Os oito atores, que são também narradores, músicos, cantores e, principalmente, contistas, com exceção de Jackyson Costa que vive o Matraga, se divide entre vários personagens, e apresentam com sutileza e criatividade a fábula, o ritmo e a música “composta” por Rosa.

O espetáculo tem como proposta teatralizar o texto original e não transformá-lo para a forma dramática tradicional. Os diálogos que se formam na cena, acompanhados por uma linguagem musical inspirada em nossa música regional e folclórica, são frutos do jogo cênico que a distribuição dinâmica das narrativas acaba por criar. Narrativa que ganha ainda mais força pela música que já existe intrínseca nas palavras únicas do autor, e pela música presente no ambiente de suas estórias.

A montagem faz parte do início das comemorações do centenário de João Guimarães Rosa. “A Hora e a vez de Augusto Matraga” será encenado com direção e adaptação de André Paes Leme, música original de Alex Elias. No elenco, Vladimir Brichta, Leandro Castilho, Guilherme Miranda, Marcelo Flores, Claudio Gabriel, Adriano Sabóia, Francisco Salgado, Georgiana Góes e Cyda Morenyx. A peça fará duas apresentações no Festival de Curitiba nos dias 27 e 28 de março no Teatro da Reitoria.

O espetáculo, dirigido por André Paes Leme, tem como proposta teatralizar o texto original, não transformá-lo para a forma dramática tradicional. Os diálogos que se formarão na cena, acompanhados por uma linguagem musical inspirada em nossa música regional e folclórica, comandada pelo músico Alex Elias, serão frutos do jogo cênico que a distribuição dinâmica das narrativas acabará por criar. Narrativa que ganha ainda mais força pela música que já existe intrínseca nas palavras únicas do autor, e pela música presente no ambiente de suas estórias.

Os 9 atores que serão também narradores, músicos, cantores e, principalmente, contistas, com exceção do ator que viverá o Matraga, se dividirão entre vários personagens, e apresentarão com sutileza e criatividade a fábula, o ritmo e a música “composta” por Rosa.

Guimarães Rosa estreou para o público, de fato, em 1946 com o livro de contos que se tornaria uma marco em nossa literatura: Sagarana. “A hora e vez de Augusto Matraga” é a última novela de Sagarana. O volume é composto por nove novelas ligadas entre si pelo espaço em que transcorrem as ações, focalizando o regional mineiro e captando os aspectos físicos, sociais e psicológicos do homem e do meio interiorano. É considerada, por muitos críticos, a mais importante produção do escritor em Sagarana, tanto por sua estrutura narrativa quanto pelo tratamento da luta entre o bem e o mal, e todo o questionamento decorrente de uma tomada de consciência do homem optando por uma dessas forças.

Direção e adaptação: André Paes Leme
Direção musical e música original: Alexandre Elias
Elenco: Vladimir Brichta, Leandro Castilho, Guilherme Miranda, Marcelo Flores, Cláudio Gabriel, Adriano Sabóia, Francisco Salgado, Georgiana Góes e Cyda Morenyx.

 

FICHA TÉCNICA
Direção: André Paes Leme
Elenco:
– Jackyson Costa
– Ernani Moraes
– Fábio Lago
– Georgiana Góes
– Marcelo Flores
– Adriano Saboya
– Cyda Morenyx
– Francisco Salgado
– Pedro Gracindo
Direção musical e música original: Alexandre Elias
Consultoria Dramatúrgica: Evelyn Silva
Letras: Evelyn Silva e Alexandre Elias
Cenografia: Carlos Alberto Nunes
Figurinos: Ney Madeira
Iluminação: Renato Machado
Preparação corporal e assistência de direção: Duda Maia
Adaptação do texto: Evelyn Silva e André Paes Leme
Visagismo: Mona Magalhães
Designer gráfico: Léo Camisão
Fotografias: Lenise Pinheiro
Direção de Produção: Andréa Alves
Produção Executiva: Leila Moreno
Realização: Sarau Agência de Cultura Brasileira